EndoMarcha leva às ruas mulheres com endometriose nas cinco regiões do país

Marcha Mundial Endometriose 2015

Por Caroline Salazar*, jornalista

Mulheres com a doença crônica lutam por políticas públicas que garantam atendimento digno e acesso ao diagnóstico pelo SUS

Pelo quarto ano consecutivo, o Brasil vai participar da Million Women March for Endometriosis, a Marcha Mundial pela Conscientização da Endometriose, no dia 25 de março de 2017. A EndoMarcha é uma manifestação pacífica em prol da conscientização da doença, que ocorrerá simultaneamente em cerca de 60 países e, no Brasil, será realizada em 13 cidades de 11 estados. Nesta edição, as cinco regiões do país estarão representadas na EndoMarcha 2017. Do sudeste está São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Belo Horizonte (MG). Já o sul do Brasil é a região com mais representatividade: Londrina, Curitiba, Maringá (PR), Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS). O Nordeste entra com Salvador (BA) e Fortaleza (CE), enquanto o Centro-oeste com Campo Grande (MS) e Brasília (DF) e a região Norte estreia na EndoMarcha com Boa Vista (AC).

A endometriose atinge cerca de 200 milhões de meninas e mulheres no mundo todo e estima-se que, no Brasil, mais de seis milhões são portadoras desta doença crônica. Uma em cada 10 mulheres tem endometriose e todas aquelas que menstruam correm o risco de desenvolver a doença.

A marcha mundial foi idealizada pelo médico americano doutor Camran Nezhat – renomado especialista e precursor da videolaparoscopia, a cirurgia minimamente invasiva para tratamento da doença – e por seus irmãos Dr. Ceana Nezhat e Dr. Farr Nezhat.

Dr. Camran elegeu a jornalista Caroline Salazar como líder nacional do evento no Brasil. Caroline, que é portadora da doença, também é idealizadora e editora do blog ‘A Endometriose e Eu’ – pioneiro no país e reconhecido internacionalmente com o prêmio Endo Angel, concedido à jornalista pelo Endometriosis Research Center, dos Estados Unidos, em 2013. “Desde 2010, luto pelo reconhecimento da doença como social no Brasil pelos nossos governantes, pois só assim haverá políticas públicas com tratamento digno e humanizado para todas as portadoras brasileiras. É preciso que haja também o diagnóstico precoce da doença, a fim de evitar o sofrimento físico e psicológico de milhões de mulheres. A marcha vem para consolidar o trabalho do ‘A Endometriose e Eu’, concebido para difundir a conscientização desta enigmática doença que atinge milhões de meninas e mulheres”, ressalta Caroline. A jornalista frisa ainda que a portadora de endometriose deve ter os mesmos direitos que o portador de qualquer outra doença crônica, como o câncer.

Resultados positivos já são vislumbrados. Por conta da EndoMarcha de 2014, a cidade de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, sancionou em 5 de janeiro de 2015 a primeira lei de endometriose do país. Foi instituída a semana do dia 13 de março – em homenagem a 1a edição da EndoMarcha – a Semana Municipal de Educação Preventiva e de Enfrentamento à Endometriose, que passou a ser realizada anualmente a partir de data. Em novembro de 2016 foi sancionada no Roraima a Semana Estadual de Educação Preventiva e de Enfrentamento à Endometriose, também na semana do dia 13 de março, mês mundial de conscientização da doença.

O que é a endometriose?

A endometriose é caracterizada pela presença de tecido semelhante ao endométrio – camada que reveste o útero – fora do útero. Apesar de terem algumas semelhanças, o endométrio e a endometriose têm muitas diferenças entre si, o que não nos permite dizer que sejam o mesmo tecido. A endometriose pode atingir órgãos próximos à pelve, como útero, ovários, vagina, ligamentos, intestino, bexiga, apêndice, ou até os mais distantes, como diafragma, pulmões, cérebro, nariz, entre outros.

Entre os principais sintomas, estão dores pélvicas (cólicas menstruais) que podem se tornar incapacitantes e destruir a qualidade de vida da mulher. Cerca de 45% a 70% das adolescentes com dores crônicas causadas pela menstruação estão entre as potenciais portadoras de endometriose. Outro fator que cabe destacar é que a endometriose também é responsável por cerca de 40% a 50% da infertilidade feminina. Portanto, caso você esteja enfrentando dificuldades para engravidar, é fundamental buscar um médico de confiança e investigar.

Sobre o blog A Endometriose e Eu:

Criado em 2010 pela jornalista e portadora de endometriose, Caroline Salazar, é referência no assunto entre portadoras, médicos e cientistas no Brasil e no mundo por ter sido pioneiro em retratar a vida de uma portadora da doença e por trazer textos exclusivos sobre a endometriose de pesquisadores internacionais renomados. O blog foi, ainda, o campeão da categoria Saúde em 2012 pelo TopBlog Brasil, eleição realizada sob voto popular e, em 2013, seguiu no topo da lista como o terceiro mais votado. Confira: http://aendometrioseeeu.blogspot.com.br/.

Serviço:
O quê? EndoMarcha 2017 – Marcha Mundial pela Conscientização da Endometriose
Quando? 25 de março de 2017 – Às 9 horas.
Onde? Verifique os trajetos da cidade mais próxima a você em http://aendometrioseeeu.blogspot.com.br/
Inscrição:
Junte-se a nós! Não precisa ser portadora de endometriose para marcar presença na EndoMarcha 2017. Mulheres, homens, crianças e idosos: sua

participação será um apoio para milhões de portadoras e famílias. Acesse o link: http://bit.ly/2gAXqAn. Juntos somos mais fortes!

Mais informações:
Caroline Salazar
Capitã EndoMarcha Time Brasil e coordenadora São Paulo carolinesalazar7@gmail.com
11- 9 4729-1580

Papo de Mãe recomenda: 

 


Tags: