Cisco CCNA Wireless 200-355 vce Exam Profile 300-320 vce ACI 3I0-012 vce Real Exam Questions and Answers 070-463 vce 300-206 vce Cisco CCNA Data Center 640-916 vce DCICT: Exam Ref 70-697 vce Configuring Windows Devices 210-451 vce 1Y0-201 vce Sale Best Microsoft 070-346 vce Study Material 640-911 vce JN0-102 vce 70-487 vce Best Cisco 352-001 vce Exam Practice Materials 070-410 vce 210-060 vce 70-412 vce 700-501 vce Best Microsoft 70-417 vce Vce CCNA EXAM 200-125 vce Routing and Switching 100-105 vce CCNA Security 210-260 vce Official Cert Guide: 300-075 vce 300-070 vce Exam Profile: Cisco 200-105 vce ICND2 v3.0 | Exam Details 300-101 vce 300-115 vce Pass CISCO 200-310 vce exam - test questions SY0-401 vce 400-101 vce Red Hat Certified System Administrator - Exam EX200 vce 300-207 vce EX300 vce First-hand 400-051 vce exam dump

Livro infantil retrata universo de garotinha com Síndrome de Down. Mariana Kotscho conversou com a autora.

Mariana Kotscho para o Portal Papo de Mãe – Edição Clarissa Meyer

Alessandra Maltarollo é pedagoga, psicopedagoga, escritora e mãe.  Ela é autora do livro “As aventuras de uma criança downadinha”, que conta as histórias de Clarice – personagem inspirada na filha de Alessandra, também Clarice, 6 anos.

15390753_1908582502567559_3679664337771106474_n

Alessandra, que mora no Rio, conversou com o Papo de Mãe sobre o livro. Veja a entrevista.

PAPO DE MÃE: Como foi se inspirar na Clarice e este também ser o nome da personagem? É ela no livro?

ALESSANDRA: Desde que nasceu, Clarice mudou meu olhar para o mundo, para a vida, para o corpo, saúde, doença, aprendizado, a importância do outro para o desenvolvimento, me fez questionar o conceito de beleza, dos padrões estabelecidos do que é considerado normal e muito mais. Escrevi sobre isso no meu blog http://www.downadinha.com.br/para-que-ela-veja-eu-preciso-ver/

downadinha

PAPO DE MÃE: Como surgiu a ideia do livro?

ALESSANDRA: Esse olhar também estava presente na fotografia que adoro. Sempre tirava foto dela de momentos lindos, únicos, sublimes. Eram tão lindos que queria dividir com o mundo, queria que crianças com e sem deficiência pudessem ver o que eu via, a leveza, naturalidade e alegria da inclusão.

PAPO DE MÃE: O que ela achou do livro?

ALESSANDRA: Ela adorou! Ficou feliz, me agradeceu e me abraçou! Ficou muito orgulhosa de ter estado ao nosso lado no dia do lançamento “autografando” junto comigo. Fiz um carimbo com a assinatura dela e do irmão Leo, para ela conseguir participar durante as quase 3 horas que ficamos no dia.

down3

PAPO DE MÃE: O livro mostra a visão de mundo dela? Nos coloca no universo dela?

ALESSANDRA: Sim, cada página foi vivida por ela, algumas são exatamente como as fotografias que tirei. Meu desejo era exatamente mostrar o que ela gostava e não gostava, os talentos dela, as alegrias dela, suas vontades, dificuldades e conquistas.

PAPO DE MÃE: A palavra ‘Down’, de Síndrome de Down, está apenas no título. Qual foi sua ideia de colocar a questão com sutileza e delicadeza na narrativa?

ALESSANDRA: Exatamente! A proposta do livro sempre foi retratar a beleza, a alegria, a vida cheia de cores, por mais difícil, pesado e impossível que às vezes possa parecer. A vida é linda! É emocionante ver a determinação e o esforço das crianças com deficiência, tamanha vontade eles têm de aprender e viver!

downadinha2

PAPO DE MÃE: No livro, Clarice fala um pouco das dificuldades que tem, que às vezes demora mais para aprender, o que é muito legal, porque isso acontece com várias crianças e traz esta igualdade. E mostra que ela faz de tudo, tem amigos, ou seja, como qualquer criança. É isso?

ALESSANDRA: Meu maior sonho com o livro era mostrar que por trás da deficiência, existe uma criança, igual a todas as crianças sem deficiência. A questão é tratar como diferença e não como deficiência. Somos todos iguais em nossas diferenças. Que a criança seja vista antes da sua deficiência! E num futuro próximo, que a deficiência não seja mais vista!

PAPO DE MÃE: Você pensou em alcançar algum objetivo com o livro? Qual?

ALESSANDRA: Pode parecer ambicioso, mas meu objetivo era mudar o olhar do outro. Mudar o olhar da família, das crianças que não têm deficiência, dos médicos, dos professores… da mesma forma que ela mudou o meu olhar. Que todos tenham o olhar dela para a beleza da vida e do aprendizado. Dessa forma, incentivar a verdadeira inclusão!

15356541_1905134942912315_6163567657332208005_n

PAPO DE MÃE: Acha que professores poderiam ler em classe para promover a inclusão?

ALESSANDRA: Principalmente eles! O que mais quero é levar essa mensagem para as escolas!

PAPO DE MÃE: Qual sua opinião sobre educação especial e educação inclusiva no Brasil? Ainda há muito a ser feito?

ALESSANDRA: O sistema educacional para as crianças com deficiência é muito deficiente. Tudo precisa ser feito e com urgência. Algumas vezes, temos relatos de situações desumanas.

PAPO DE MÃE: No final do livro, você propõe a participação dos leitores. Como tem sido este retorno?

ALESSANDRA: Ainda não tive por e-mail. Tenho tido muitos depoimentos pessoalmente e todos amando a proposta do livro, além dos convites para entrevistas, lançamentos, conversas em escolas que estão surgindo. Está sendo fantástico! Para mim, o objetivo do livro já foi alcançado!

A Alessandra também gravou um recadinho com a participação da filha Clarice e da Yolle, ilustradora do livro.  Confira!

Contatos:  Blog pessoal: www.downadinha.com.br  Facebook: As aventuras de uma criança DOWNadinha  E-mail: alessandra@maltarollo.net

Assista aos dois programas que o Papo de Mãe fez sobre Síndrome de Down:

 

Leia ainda:


Tags: , , , ,