5 dicas para ensinar seu filho a comer bem 

Criadora do Pequeno Gourmet mostra que é possível educar o paladar infantil de forma saudável e afetiva

Formar o paladar dos filhos requer empenho e criatividade. Há uma infinidade de orientações para este período tão gostoso e repleto de descobertas. Foi com essa vontade – de formar o paladar de seu filho, Santiago, hoje com 4 anos, que Camila Verdeja, 37 anos, criou o  site Pequeno Gourmet (www.pequenogourmet.com.br). A ideia do é fazer pratos saudáveis, mas ao mesmo tempo práticos e que possam ser consumidos por todos – pais, inclusive. “Acho fundamental consultar profissionais especializados para tirar dúvidas e colher informações. E foi com o apoio da minha nutricionista e do pediatra do Santiago que desenvolvi alguns macetes para estimular o paladar dele e criar hábitos saudáveis”, diz Camila.

Confira as dicas:

1) Diversificar o preparo das papinhas

“Além de variar os ingredientes na hora de preparar a papinha do bebê, vale a pena revezar no modo de preparo das receitas. Papinhas feitas com legumes cozidos no vapor são, sem dúvida, a opção mais saudável. Mas se assarmos esses mesmos ingredientes com um fiozinho de azeite, o sabor vai ser bem diferente e a textura também, podendo acompanhar o peixinho grelhado dos pais. Em dias mais corridos, cozinhar com pouca água pode ser a solução. Fica ainda mais gostoso se substituir a água por caldo de carne, frango ou legumes congelados, ou, até mesmo, cozinhar os ingredientes em suco de laranja.”

2) Utilizar os mesmos ingredientes dos pratos dos adultos para o preparo das papinhas

“Acostumei a preparar as papinhas do meu filho com os mesmos ingredientes que iria usar para os adultos. Além de ganhar alguns minutinhos a mais na rotina, os gastos com as compras são menores, pois há menos desperdício e fortalecemos os hábitos saudáveis da nossa família.”

3) Explorar diferentes texturas, cores e sabores

“O mais importante na formação do paladar das crianças é variar, variar e variar. Isso pode, em um primeiro momento, ser sinônimo de mais trabalho, mas em longo prazo os resultados são animadores. É bom caprichar em diferentes sabores, com temperos frescos, oferecendo desde uma sopinha rala até pedacinhos de legumes cozidos para os bebês comerem com as mãos. É preciso haver equilíbrio na oferta dos alimentos, sem priorizar nenhuma textura, sabor ou cor, mas sim um pouquinho de cada um.”

4) Apresentar os alimentos para os bebês

“Gosto de contar para o Santiago todos os ingredientes que eu coloco na comida dele – desde bebê. Os alimentos devem fazer parte da rotina das crianças e a abordagem não precisa ser feita somente na hora das refeições. Visitas às feiras e aos hortifrútis podem e devem ser feitas com as crianças desde pequenas. Brincar de cozinhar, deixar que elas explorem a cozinha (com supervisão, é claro), cantar musiquinhas e contar histórias, mostrar livros de receitas, decorar os pratinhos pode ajudar e muito.”

5) Deixar o bebê “brincar com a comida”

“Muitos especialistas em alimentação infantil não diferenciam a faixa etária na hora de sugerir a postura mais adequada à mesa. Muitos não recomendam brincadeiras na hora das refeições e sugerem que as crianças devam focar na comida por pelo menos 20 minutos. Mas os bebês aprendem brincando, gostam de explorar com as mãozinhas e levam tudo à boca. Então, por que não utilizar isso a nosso favor na hora de apresentar os alimentos?”

 

 

Um dos meus grandes baratos na época de introdução alimentar do Santiago era criar versões baby para os pratos que já faziam parte do cardápio de casa. O desafio era extremamente estimulante e contribuiu bastante para a construção do paladar do filhote, que aos poucos foi se acostumando com os sabores do papá dos adultos.

Claro que algumas receitas não exigiam grandes adaptações e a grande maioria, na verdade, poderia ser servida da mesma maneira só acrescentando sal e pimenta no nosso prato, como no caso das sopas. Porém a graça estava em justamente escolher comidinhas que ninguém pensaria em transformar em papinhas de bebê. No melhor estilo competição de culinária, a ideia era provocar a criatividade da Mamãe tendo o pratinho vazio do neném como prêmio.

Sucesso criado muito antes da minha gravidez, o filezinho de tilápia assado com batatas-doce e maçã é um prato único super fácil de preparar e resolve o almoço ou o jantar quando estamos com aquela preguicinha ou não temos tempo para preparar mais acompanhamentos.

Com cara de prato sofisticado e sabor delicado, essa sugestão é de fazer os bebezinhos lamberem a colher e os pais o garfo, provando que o gourmet tem muito mais a ver com a escolha e combinação dos ingredientes do que com a complexidade na hora do preparo.

Filé de peixe assado com batata-doce e maçã

Prato único que com a ajudinha de um bom caldo caseiro pode se transformar em uma papinha para não deixar o bebê sem provar a comidinha dos adultos.

Só não se esqueça de deixar de temperar com sal e pimenta um pedacinho do peixe antes de colocá-lo na assadeira.

Prep: 10 min.
Cook: 40 min.
Rendimento: Papai, mamãe, filhote e um pouquinho para a papinha do bebê.

Ingredientes

3 filés de peixe (na maioria das vezes uso o Saint Peter/tilápia)

1 batata-doce grande em rodelas

2 maçãs descascadas e cortadas em fatias

2 col. de sopa de azeite

ervas finas a gosto

sal e pimenta a gosto

1/2 xíc. de caldo de legumes caseiro (se for preparar um porção de papinha)

 

Modo de preparo

Pré-aqueça o forno a 180º.

Tempere os filés de peixe com sal e pimenta a gosto. Reserve.

Unte uma assadeira ou travessa com uma colher de azeite.

Forre a assadeira com uma camada de rodelas de batata-doce. Cubra com uma camada de fatias de maçã. Salpique ervas finas por cima.

Coloque os filés de peixe e cubra primeiro com uma camada de maçãs e depois com as rodelas de batata-doce restantes.

Regue com a outra colher de azeite e salpique mais um pouquinho ervas finas.

Cubra com papel alumínio e leve ao forno por 20 minutos.

Retire o papel aluminio e volte ao forno por mais 20 minutinhos ao até que a batata esteja cozida e o fundo da assadeira caramelizando. (o que deixa as batatas muito mais saborosas)

Se a ideia é preparar uma porção de papinha, separe uma xíc. do peixe assado com as batatas e as maçãs e bata no processador ou amasse com um garfo utilizando o caldo caseiro para chegar a textura desejada.

Pequeno Gourmet

A economista e influenciadora digital Camila Verdeja, 37 anos, foi uma criança com paladar seletivo, mas ao ficar grávida de Santiago, hoje com 4 anos, resolveu que o menino não seria como ela e investiu na formação do paladar do filho. Após perceber que suas escolhas estavam dando certo, surgiu a ideia de compartilhar suas dicas e experiências com outros pais. Assim, criou o www.pequenogourmet.com.br, um site que apresenta receitas, notícias, estudos e muito mais sobre alimentação infantil saudável.

 

 


Tags: