Alerta: O diabetes está cada vez mais frequente na infância e na adolescência

Por Dr. Fabiano Lago*, médico no Spa Estância do Lago e membro da Sociedade Brasileira de Diabetes

 

 

O número de crianças e jovens com diabetes tipo 2 vem aumentando expressivamente, preocupando os especialistas

De acordo com a International Diabetes Federation, entidade ligada à ONU, são mais de 380 milhões de pessoas com diabetes no mundo. Somente no Brasil, esse número chega a 16 milhões e, segundo o Ministério da Saúde, a última década apresentou aumento de mais de 60% nos casos. O endocrinologista do Spa Estância do Lago, Dr. Fabiano Lago –também membro da Sociedade Brasileira de Diabetes e com especializações no Canadá- ressalta que cada vez mais a patologia aparece mais cedo. “A diabetes adulta, do Tipo 2, vem crescendo expressivamente na infância e adolescência”, ressalta o médico.
Na maioria dos casos, a doença está associada a condições como obesidade e sedentarismo, situações simples de serem revertidas na visão do endocrinologista. “A taxa de glicose no sangue pode ser reduzida com a perda de peso, que pode ser entre 5% e 10%. Ou seja, basta incorporar uma alimentação um pouco mais saudável aliada a atividades físicas prazerosas, especialmente em se tratando de criança e adolescente”, orienta Dr. Fabiano.
Pós-graduado em Biologia Molecular e Obesidade pela LAVAL UNIVERSITÉ em Quebec City, no Canadá, e considerado uma das maiores referências em emagrecimento pelo Spa Estância do Lago –localizado a 15 km de Curitiba-, Dr. Fabiano aponta maneiras especiais para tratar a criança e o jovem. “Eu me torno amigo dos meus pequenos pacientes em fase de reeducação alimentar, e não alguém que impõe um sofrimento. Os pais precisam estar engajados no tratamento, evitando o termo dieta, falando em alimentação saudável para toda a família, mudando apenas um hábito por consulta, facilitando assim o processo de mudança”.
Em 2017, o tema para a campanha em prol do Dia Mundial do Diabetes, em 14 de novembro, é “Mulheres e Diabetes: nosso direito a um futuro saudável”. E o especialista também comenta o comportamento da doença no público feminino. “As mulheres estão em maior risco de desenvolver diabetes na fase do climatério. A queda dos níveis hormonais femininos favorece o acúmulo de gordura abdominal, em especial gordura visceral, aumentando o risco de resistência à insulina e diabetes”.
Ainda para mensurar o cenário, segundo pesquisa realizada pela Universidade do Estado de Oregon, nos Estados Unidos, com um grupo de mil homens e mulheres, a diabetes tem mais prevalência nas mulheres, por fatores metabólicos, sedentarismo e aumento de gordura. O estudo revelou que pacientes femininos têm 44% mais chances de desenvolver doenças coronarianas.

*Dr. Fabiano Lago: médico endocrinologista do Spa Estância do Lago, graduado pela PUC Paraná; fez residência em Clínica Médica no Hospital de Clínicas da UFPR; residência em Endocrinologia e Metabologia no Hospital de Clínicas da UFPR; pós-graduado em Biologia Molecular e Obesidade pela LAVAL UNIVERSITÉ em Quebec City – Canadá.
O especialista é Membro da: Endocrine Society; ABESO – Associação Brasileira para Estudo da Obesidade; SBEM – Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia; SBT – Sociedade Brasileira de Tireoide e SBD – Sociedade Brasileira de Diabetes.
SPA Estância do Lago
www.estanciadolago.com.br


Tags: