Mitos e verdades sobre a saúde bucal na gravidez

Por Katiuscia Lurentt*, cirurgiã bucomaxilofacial 

 

No início da gravidez, as futuras mamães correm para começar o pré-natal e garantir que o bebê chegue com 100% de saúde. Mas para que isso aconteça, é essencial incluir na agenda visitas trimestrais ao cirurgião-dentista. Durante a gestação, quando as mulheres estão com o organismo mais vulnerável devido às alterações hormonais, as consultas odontológicas são essenciais para diminuir os riscos de inflamações e doenças gengivais. Além de orientações sobre a dieta e do treinamento de práticas de escovação e fio dental, o especialista pode, ainda, indicar outros métodos preventivos para a saúde oral da mãe e do bebê.

 

De acordo com a cirurgiã bucomaxilofacial Katyuscia Lurentt, a gestação deixa a mulher mais suscetível às cáries porque há diminuição do fluxo e da ação protetora da saliva, além de um aumento na ingestão de alimentos. Esses dois fatores, em conjunto, podem gerar o aumento da acidez constante na boca, facilitando a desmineralização dos dentes e, consequentemente, a formação de cáries:

 

– As gestantes devem dar atenção especial à saúde bucal. Nesse período, a higienização com escovação adequada, sempre após as refeições, e o uso correto e diário do fio dental são imprescindíveis, mesmo que seja observado um pouco de sangramento nas gengivas. Uma atenção especial também deve ser dada à alimentação, que deve ser balanceada, evitando-se doces, balas, salgadinhos e refrigerantes.

 

Consultas para avaliação da condição bucal, limpezas profissionais e aplicações tópicas de flúor estão permitidas durante a gravidez, desde que sejam observados os cuidados relativos ao uso de anestésicos adequados, radiografias com proteção e, de preferência, realizadas no segundo trimestre de gestação:

 

– A prevenção é importante para evitarmos problemas gengivais e cáries, e, durante esse período, há uma maior estabilidade gestacional, sem riscos para o feto. Já tratamentos como cirurgias, próteses, implantes e restaurações estéticas devem ser realizados após o nascimento do bebê. Entretanto, diante de quadros de dor ou infecção, o cirurgião-dentista deve intervir de pronto, sem considerar a idade gestacional – alerta a especialista.

 

Perigos

 

Existem fortes evidências de que mães com doença periodontal têm mais chance de ter filhos prematuros – abaixo de 37 semanas de gestação – e com baixo peso – inferior a 2500g. “Pesquisadores acreditam que os estímulos inflamatórios podem induzir uma hiperirritabilidade da musculatura uterina, provocando contração do útero e dilatação, que atua como gatilho para o parto prematuro”, explica a cirurgiã.

 

Para Katyuscia, ainda existem muitas dúvidas em relação à saúde bucal na gravidez que devem ser desmistificadas, já que podem causar sérios danos não só ao sorriso das futuras mamães, mas, também, dos seus bebês. Abaixo, a especialista lista e esclarecer as principais incertezas:

 

– É necessário evitar o uso de antisséptico bucal?

Verdade. Os antissépticos são produtos químicos que devem sempre ser usados sob a supervisão de um cirurgião-dentista. Durante o pré-natal, a gestante deve evitar a utilização dos antissépticos, já que muitos possuem álcool em sua formulação.

 

– As gestantes sempre têm problemas periodontais durante a gravidez?

Mito. Da mesma forma que a gravidez não causa cáries, também não causa problemas periodontais ou inflamação gengival. O que ocorre é que, devido às alterações hormonais, ocorre uma maior vascularização gengival durante a gestação. Dessa forma, a gengiva fica mais suscetível. No entanto, o que causa inflamações é a placa bacteriana, e não a gravidez.

 

– A amamentação pode enfraquecer os dentes?

Mito. A amamentação não enfraquece os dentes, mas a alimentação precisa ser balanceada, de acordo com as novas necessidades da mulher. Caso o consumo de cálcio esteja inadequado, o organismo vai extraí-lo das reservas do esqueleto, e não dos dentes, como se costuma acreditar.

 

– Os dentes realmente podem escurecer durante a gestação?

Mito. Não existem relatos científicos que relacionem o escurecimento dos dentes à gestação. Normalmente, esse processo está ligado à idade e aos hábitos de cada pessoa, como, por exemplo, o consumo de cigarros, café e má higiene oral.

 

– Higienizar a língua durante a gestação pode causar enjoo?

Mito. Para manter o hálito puro e saudável, a língua deve ser higienizada, já que é nesta região que as bactérias ficam alojadas. A limpeza deve ser feita diariamente, de preferências todas as manhãs com um higienizador específico.

 

*Katiuscia Lurentt é especializada no tratamento de malformações da face e cirurgia ortográfica, pós-graduada em cirurgia bucomaxilar pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atuou como professora de Cirurgia Oral na UFRJ e é membro do Serviço de Cirurgia Bucomaxilofacial do Hospital Adventista Silvestre e responsável pela orientação de saúde bucal da ONG Nova Chance.


Tags: ,