Aos domingos, 15h30
Reprise aos sábados, 11 horas
Na TV Brasil
Loading...

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Vilões da Alimentação

Mariana Kotscho e Roberta Manreza conversam com mães e especialistas sobre os Vilões da Alimentação

Domingo (31), 15h30. Reprise no sábado, 11 horas. na TV Brasil. 

Sal, açúcar, gordura. São esses os vilões da nossa alimentação? Na sua casa, você come de tudo ou proíbe certos alimentos? Como é a alimentação dos seus filho?

Recentemente, a Organização Mundial da Saúde  recomendou, pela primeira vez, limites para o consumo diário de sódio para as crianças. São 2g de sódio por dia para os maiores de 2 anos, o que equivale a uma colher de chá de sal. O sódio é um dos principais responsáveis pelo aumento da pressão arterial em crianças e adultos.  

Neste programa, vamos conhecer as histórias da Mylene, mãe do Nicolas (5) e da Lorena (2); da Mayara, mãe do  Gustavo (3), da Júlia (9) e da Milena (10);  e da Rosana, mãe do  Matheus (9) e do Lucas (7).  Participam também os especialistas: Dra. Bacy Bilyk, psiquiatra infantil;  Dra. Adriana Pessoa, endocrinologista; Sandra Kalil, dentista; e Susana Franciscato, nutricionista. 

O filho mais velho de Mylene aceitava bem as papinhas. Porém, mas quando começou com os alimentos sólidos, estranhou muito e nunca gostou de experimentar novos alimentos novos. Já a caçula come de tudo.

No caso da Mayara, o filho  mais novo é bem magrinho e come muito pouco. A mãe precisa "empurrar" a comida. A do meio é o oposto, gosta de experimentar tudo. E a mais velha também come bem, coisas saudáveis e outras nem tanto.

Já na casa da Rosana, o problema foi a cárie de mamadeira. O primeiro filho perdeu praticamente toda a primeira dentição assim. Já no segundo filho, a prevenção às cáries foi um cuidado que os pais tomaram desde antes dos dentes nascerem. 

O programa conta também com um reportagem especial de Fernanda De Luca, que foi conferir como as pessoas têm se alimentado. Tem ainda um papo com o povo pelas ruas de São Paulo.

Papo de Mãe é um programa imperdível e fundamental para quem vive as dores e as delícias da vida em família. Informal com informação. Emocionante. Interativo. E com muita prestação de serviço.

Apresentação: Mariana Kotscho e Roberta Manreza. 












quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Depoimento

"Queridas Mariana e Roberta,

Quero apenas agradecer pelo presente que foi estar com vocês no Papo de Mãe e continuar usufruindo da perspectiva de influenciar pessoas a se engajarem nesta incrível experiência que é a adoção.

Não paro de receber pedidos do meu livro "O Quartinho Solitário", que envio em PDF, uma vez que a edição está esgotada, o que para mim é de grande significado. Saber que a minha história continua levando esperança é muito bom!

Dívida de gratidão ao Papo de Mãe e a vocês, incansáveis batalhadoras em prol do bem comum!

Abraços carinhosos! "

Eliana Gavioli
----
PS: Nós é que agradecemos, Eliana!!!

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Papo de Mãe é finalista do Prêmio Abracopel de Jornalismo

Reconhecimento é muito legal!!! Vale a pena trabalhar por uma causa que você acredita!!! Obrigada a todos que acompanham e curtem o Programa Papo de Mãe!!! Vamos torcer!!!
Reveja o Papo de Mãe
 sobre Eletricidade.

 Nota do Jornal Estado de São Paulo - 23.08.2014

Relato do Francisco

Oi, gente! Ontem foi ao ar o Papo de Mãe sobre Escolas Especiais. A reprise é no próximo sábado, 11 horas, mas a gente também vai colocar o programa na internet.  Para hoje nós temos um relato que vem lá do Rio Grande do Norte. Quem nos escreve é o Francisco, um fã muito querido do programa, que nos conta um pouquinho de como foi a vida escolar dele. 

---
Olá, pessoal do Papo de Mãe! 

Eu sou Francisco Edyfrance Alves de Souza, moro em Natal/RN. Sou um jovem paraplégico e faço hemodialise há 15 anos. Comecei aos quatorze. Descobri o programa Papo de Mãe através da jornalista Rosana Jatobá, telespectadora e que já participou do programa. Quero deixar registrado: amei a proposta desse renomado programa e estou fascinado pelos temas. 

Foto: arquivo pessoal
Não foi nada fácil encontrar uma escola que me aceitasse assim como sou, paraplégico. Após meus pais procurarem vaga em várias escolas particulares sem êxito, chegaram na escola Guararapes, onde a diretora, muito gentil, falou que me aceitaria. Com o passar do tempo, foi mudando de nome, o último foi Colégio Criativo Cooperativista, onde, com muito carinho e dedicação, me aceitaram durante onze anos. Concluí o terceiro ano do ensino médio com orgulho, pois se dependesse dos problemas de saúde, não teria saído do primeiro ano e nem concluído o segundo grau. A escola é ampla e com acessibilidade em parte. Com o passar do tempo, eles foram se adaptando às necessidades. E os alunos, muito amigos,  me ajudavam no que eu precisasse. 

Um beijo a toda equipe Papo de Mãe . 

Recado: Nunca desista dos seus sonhos, por maiores que sejam suas dificuldades. Jamais deixe que o medo pegue você!
video

---

Ei, Francisco,  muito obrigada pela sua participação!!! Continue ligado no Papo de Mãe e nos ajudando a divulgá-lo!!! Vamos juntos em busca de nossos sonhos!!!  Um grande abraço de toda nossa equipe!!! 

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Escolas Especiais

Mariana Kotscho e Roberta Manreza conversam com pais e especialistas sobre Escolas Especiais

Domingo (24), 15:30, na Tv Brasil. Reprise no sábado, 11 horas. 

A educação é um direito de todos e a inclusão de crianças com deficiência intelectual na escola regular está prevista no Plano Nacional de Educação. Porém, em alguns casos, a criança não se adapta numa escola regular e passa a frequentar uma escola especial. Mas como funciona este processo? Quem decide a partir de que momento a criança precisa de uma educação especial? E será que existe escola para todos?

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Como cuidar dos prematuros em casa

Quando eles recebem alta, é normal os pais ficarem apreensivos. Confira dicas com os principais cuidados com o bebê que nasceu antes da hora

Por Malu Echeverria – Revista Crescer

O bebê humano é um dos mais frágeis da natureza e inspira cuidados especiais ao nascer. Imagine, então, se ele chegar antes da hora? O prematuro (ou seja, cujo parto aconteceu antes da 37ª semana de gestação) pode ficar dias, semanas ou até meses na maternidade antes de ir para casa. “O critério para a alta, nesse caso, não é apenas o peso da criança. Ela só costuma ser liberada se já está sugando e mamando bem, se a respiração estiver regular e se conseguir manter a própria temperatura”, afirma o pediatra Renato Procianoy, presidente do Departamento Científico de Neonatologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). O que, em geral, ocorre quando o bebê alcança em torno de 2 quilos – alguns um pouco antes, enquanto outros um pouco depois, segundo o especialista. Mas a tão esperada hora de deixar o hospital também pode trazer angústia e dúvidas aos pais: como cuidar do prematuro sem ajuda?

sábado, 16 de agosto de 2014

Prematuros até 1 kg

Mariana Kotscho e Roberta Manreza conversam com mães de bebês que nasceram com menos de 1kg e especialistas no assunto

O que se espera é que os bebês nasçam por volta de 40 semanas de gestação e com peso em torno de 3 quilos. Porém, nem sempre é assim.  Por vários motivos, muitos bebês nascem antes da hora, alguns deles com menos de 1kg, considerados prematuros extremos.

Nas últimas duas décadas, graças à tecnologia e aos novos medicamentos, muito mais prematuros estão terminando seu desenvolvimento fora do útero com sucesso. Mesmo assim, o risco de sequelas existe. Mas quais os motivos, os cuidados e os riscos de um nascimento prematuro?