FILHOS MÚLTIPLOS: a astrologia ajuda a compreendê-los

Por Sílvia Bacci*

A astrologia, que já foi encarada como mera curiosidade, tem se mostrado um eficaz indicador de tendências comportamentais. As famílias estão percebendo que é possível estabelecer relacionamentos mais verdadeiros e construtivos a partir do reconhecimento e do respeito à individualidade de cada membro. Uma boa alternativa é o estudo astrológico individual, o mapa astral.
Numa família com filhos múltiplos, a necessidade de entender e preservar a individualidade se torna mais intensa. Os filhos chamam bastante a atenção, sofrem comparações e são cobrados por escolhas que, muitas vezes, são dos seus irmãos e não suas.
Se as crianças nasceram praticamente no mesmo horário, como seus mapas astrais podem ser diferentes?
Há diversas alternativas para que o astrólogo perceba em mapas “quase iguais”, simbologias que representem cada uma destas crianças. Estuda-se, além do signo solar e do ascendente, o signo lunar, o descendente (signo oposto ao ascendente) e observa-se atentamente a distribuição dos planetas nas casas zodiacais.
Ao longo do seu desenvolvimento, os filhos múltiplos buscam alternativas para expressar sua personalidade e diferenciar-se. Acabam adotando, ainda que inconscientemente, algumas “personas” ou máscaras, de acordo com os recursos de que dispõem. Todos estes recursos pessoais estão simbolizados no mapa astral.
Na prática, um filho viverá mais intensamente as qualidades e desafios do signo solar, enquanto o outro adotará o estilo do seu signo lunar. Um terceiro filho pode projetar sua identidade por meio do signo ascendente ou do descendente. Ou pode ainda, repetir a escolha do irmão mais velho, identificando-se com o signo do Sol, porém o fará de um modo diferenciado.
A partir daí entra em cena a sensibilidade dos pais, especialmente a da mãe, que constitui um grande vínculo afetivo para estas crianças. Sua percepção indicará qual filho se encaixa em cada perfil explicado pelo astrólogo.
Ter filhos múltiplos constitui uma boa oportunidade para que a família se liberte de estereótipos e preconceitos em relação ao zodíaco. Cada signo oferece uma gama de qualidades, desafios e possibilidades de evolução. E cada criança vai usufruir deste presente do céu de acordo com o seu livre arbítrio.
Diante do grande desafio que é compreender as crianças, não existem regras, mas há como traçar alguns roteiros. O mapa astral constitui uma interessante ferramenta para que se possa investir nesta jornada amorosa.

*Sílvia Bacci é astróloga e terapeuta. Interpreta mapas astrais para adultos e crianças. Contatos: bacci@uol.com.br


Tags: