PAIS DE CRIANÇAS ÍNDIGO E CRISTAL: MISSÃO ESPECIAL…OU NÃO?

Por Malu Favarato*

“Então eu estava fazendo minha prova e não sabia aquela pergunta porque eu tinha faltado naquela aula. Mas aí eu me lembrei que minha irmã já havia estudado aquilo.  E eu sabia onde ela guardava os cadernos dela. Então eu fui (mentalmente) até a nossa casa, peguei o caderno dela, procurei a página e vi o exercício que ela tinha resolvido. Aprendi e copiei na minha prova. Aí eu acertei!” (M, aos 9 anos).
(durante uma discussão com a mãe) ”Mamãe, o meu Eu é diferente do seu Eu. Então você não pode querer que eu faça as coisas como você”(H, aos 6 anos).
(na escola, em conversa com a Orientadora Pedagógica) “Então, é disto que estou falando. Ele (amigo) tem de mudar. Ele tem de entender que isto não está certo e não é bom. Ninguém gosta e prejudica todo o grupo. Eu mudei, é verdade! E ele tem de mudar também!” (H, aos 9anos).
“É uma tristeza enorme. Eu sinto uma saudade de algo ou algum lugar que não sei onde é. Aqui é muito triste! Tem muita coisa triste e ruim. Queria poder mudar tudo isso. Queria que as pessoas fossem mais felizes. Queria conversar por telepatia e me teletransportar. O planeta seria bem mais limpo; é mais ecológico. Queria que não houvesse maldade e que o ser humano soubesse como a gente brilha igual a anjo. Sinto uma pressão muito grande. Sei que tenho de fazer alguma coisa e não sei por onde começar.” (L, aos 14 anos).
 Parece fácil, mas não é!
O que dizer a um filho depois de ouvir qualquer uma destas afirmações? E esse é o padrão típico de crianças Índigo e Cristal. O que eles dizem com uma naturalidade inata é, na maioria das vezes, assustadora e desconcertante para os pais.
Não sem motivo, é cada vez é maior o número de pais procurando aconselhamento, terapia para os filhos e perambulando de um médico a outro atrás de um diagnóstico. As crianças e adolescentes de hoje realmente apresentam um padrão diferente, mais direto, inquisidor e transcendente que nas gerações passadas. Ocorre que nem sempre é para ter diagnóstico ou manter a criança em terapia.  Essa Nova Ordem, requer dos Pais uma reformulação interior para cuidar e educar seus filhos sem problematizá-los. Ser Índigo, Cristal ou simplesmente ser deste novo estágio de evolução da humanidade não é privilégio e sim uma consequência natural. Portanto, educá-los não é uma missão especial. É sim muito, muito trabalhosa e por vezes desgastante.
Partindo do princípio que esses seres vieram com uma energia vital específica para realizar mudanças, nada mais natural imaginar que a primeira e mais transformadora mudança deve começar dentro da própria família. Os pais se  debatem  hoje em dia entre a permissividade, falta de controle do filhos e o autoritarismo. Nem uma coisa nem outra é eficaz para essas crianças. A palavra chave neste contexto é NEGOCIAÇÃO. Mas para negociar os pais têm de estar muito seguros de qual caminho querem seguir e até onde podem e devem ceder ou não. Um bom negociador deve estar muito centrado em si mesmo, mas ao mesmo tempo conseguir enxergar a si e ao outro. No caso, tem de se ver em primeiro lugar como indivíduos, depois como pais ao mesmo tempo em que percebe a individualidade do filho, um outro ser, diferente e com  necessidades diferentes.
As famílias hoje são, em sua maioria, consumistas, enquanto as crianças necessitam que elas sejam afetivas. Têm medo de frustrar os filhos e eles precisam como nunca de limites claros. São evasivas e nossas crianças precisam de muita verdade, clareza e sinceridade de sentimentos na relação com o mundo.
A melhor dica para os pais que querem verdadeiramente ajudar ao seu filho é: comece ajudando a si mesmo. Olhe-se mais com verdade. Interiorize-se e tenha bem claro quais são seus valores, sua inspiração. Viva de acordo com a Ética humanista de respeito ao próximo e ao planeta. Reformule-se. Redescubra-se. Parafraseando o filósofo: “Conheça-te a ti mesmo e conhecereis a teu filho”.
Não é fácil não e talvez você precise de ajuda para conseguir isso. Mas lembre-se: É POSSÍVEL!!!!.
***
*Malu Favarato é Psicóloga de orientação Junguiana. Trabalha com aconselhamento de Pais e Harmonização do Ser Índigo. Participou como convidada do programa Papo de Mãe sobre Crianças Índigo e Cristal, exibido em 24.06.2012. Contato:  malufavarato.psi@terra.com.br. Site:  www.malufavarato-filhosdourados.blogspot.com.br  

Tags: