Educação infantil para a sustentabilidade

417984_314477722001689_465872543_n-vanda-foto-marketing

Por Vanda Minini*, bióloga e pedagoga

Educação sustentável: conceito e princípios

O conceito de educação sustentável vem tomando fôlego há algum tempo nos países de primeiro mundo. No entanto, isto se faz necessário em todo o planeta, já que estamos depredando nossa própria casa. Por isso, torna-se totalmente equivocado pensar em uma educação sustentável sem saber do se trata, de fato. Várias pessoas estão entendendo que é necessário preservar o meio ambiente e me dizem que já estão fazendo isto em suas escolas, e que isto é uma educação sustentável, mas educação sustentável vai muito além de questões relacionadas ao meio ambiente; ela deve, também, permear aspectos econômicos e sociais. Como assim?

Uma escola sustentável terá como principal objetivo os valores de uma sociedade que utilize conceitos e ações de sustentabilidade amparados em três grandes eixos: econômico, social e meio ambiente. Uma escola com o conceito de sustentabilidade deve ser construída com materiais que não agridem o meio ambiente (exemplo: tijolo adobe). Esta construção biosustentável tem como premissa o reaproveitamento da água da chuva e reutilização da mesma, bem como a energia solar sendo transformada em energia elétrica (energia limpa). No entanto, apenas a construção com este tipo de material não é o suficiente para educar para a sustentabilidade

Em seu modo de gerenciar, tanto no currículo das crianças, como na metodologia da escola e dos professores, são necessárias ações que eduquem as crianças, os jovens e também os adultos ─ estes, bem mais difíceis ─ para um novo estilo de vida. A orientação para coleta e destino que se faz para latinhas, ou garrafas, não é o suficiente para que a sustentabilidade aconteça. As crianças e os adultos precisam produzir produtos que possam ser vendidos de forma a que os três eixos da sustentabilidade: social, ambiental e econômico estejam presentes em todas as ações e estudos. Vou exemplificar para entenderem melhor o que quero dizer: por exemplo, com os resíduos úmidos os alunos da escola podem aprender a produzir compostagem para hortas, pomares e jardins; a produção de verduras, legumes e frutas realizada junto com as crianças deve ter, a sua forma de saída ─ as vendas ─ realizadas pelos alunos em algum espaço dentro do ambiente escolar para que consigam aprender  ─ na prática real ─ a gerenciar uma economia sustentável. Vejo alguns exemplos de escolas sustentáveis pelo mundo que se preocupam apenas com o meio ambiente e com a produção de orgânicos, mas se esquecem de educar para a gestão empreendedora desta nova economia.

É importante a preservação do meio ambiente, a produção de alimentos orgânicos para uma vida saudável, mas é igualmente importante saber gerenciar estes produtos. Aprender a cultivar, a montar um logo e uma marca para os produtos, a fazer embalagens, a colocar preços e vender… isso tudo é fundamental para uma economia sustentável. Objetivo e metodologia sustentável vão além da sala de aula! Trata-se de aprendizados para a vida de forma vivenciada. São conhecimentos que farão a diferença na vida de qualquer criança, jovem ou adulto.

Uma escola sustentável precisa educar para reduzir o consumo desenfreado de produtos industrializados que, em sua composição, utilizam de recursos naturais; é preciso reciclar o que já existe e está aí, fazendo de tudo para não gerar mais resíduos sólidos. Educação sustentável precisa gerar renda, ou seja, também é preciso pensar em como os produtos reciclados poderão ser vendidos e como isso pode gerar renda para a própria escola.

Uma escola sustentável possui um prédio com bioconstrução, um projeto pedagógico voltado para a aprendizagem com experiência com um currículo que atenda os aspectos econômicos, sociais e ambientais.

Sugestão de leitura

No livro Educação Infantil para a Sustentabilidade – ATUALIDADES – DESAFIOS E AVANÇOS proponho uma reflexão sobre a necessidade desta modalidade de ensino atualmente no Brasil. A educação infantil deve ser vista como um direito da criança e não como um condicionamento social ou familiar. Por que faço esta reflexão? Porque acredito que a mudança de concepção para um mundo melhor deva partir dos pequenos que serão, num futuro próximo, os cidadãos atuantes de nossa sociedade, de nosso país. Assim, garantir o direito à educação com qualidade, fundamentada pelo desenvolvimento harmônico da criança, tem em seus princípios o processo de Educar para a Vida! Isso significa que estamos garantindo que a educação não seja assistencialista e cômoda, mas que seja realmente verdadeira, voltada para um significado de vida.

Na segunda parte do livro retrato os desafios para se construir uma educação sustentável, tendo em vista a necessidade atual do planeta e a má formação dos professores no Brasil. Para garantir que esta proposta inovadora incorpore as escolas de educação infantil, é preciso pensar em uma formação continuada e permanente dos profissionais e de todos os envolvidos com a escola, pois uma educação só se faz com pessoas que comunguem dos mesmos princípios éticos e pedagógicos.

Já na última parte do livro proponho uma reflexão sobre o currículo, a metodologia, os espaços, a rotina e as relações dentro de uma escola sustentável.

Assim, os princípios que fundamentam esta educação inovadora são:

  1. Educação Integral: corpo, mente, sentimentos e emoções.
  2. Cultura e Arte: construção das histórias de nossa gente.
  3. Sustentabilidade e Meio Ambiente: educação financeira, econômica e social.
  4. Relações humanas: ética, respeito, dignidade, solidariedade.
  5. Cidadania: construção do cidadão em direitos e deveres.

Que esta leitura possa agregar valores aos educadores, sejam estes os profissionais da Educação, sejam estes ─ principalmente ─ pais e mães que desejam a seus filhos uma vida promissora e real, pautada pelos princípios da ética e do respeito para com toda a vida existente no Planeta.

O grande objetivo deste livro é montar uma escola sustentável aqui no Brasil, para isto preciso de pessoas que comunguem com a mesma ideia e de investidores que nos ajudem a montá-la.

Para trabalhar com os conceitos de uma escola de Educação Infantil para a Sustentabilidade é necessário uma mudança estrutural ─ tanto física, como de comportamento ─ de todos os envolvidos dentro de uma escola, pois teremos que aprender a administrar e utilizar melhor os recursos naturais: reutilizar, reciclar e reduzir o consumo são as palavras necessárias para querer mudanças de atitudes em prol de um novo estilo de vida. Para isto, são necessárias ações inteligentes de todos, com consciência e ampliação de que somos responsáveis pela continuidade da qualidade de vida neste planeta TERRA.

Para adquirir o livro:

capa-do-livro-vanda

http://www.agbook.com.br

Contato (19) 98840-3256

*Vanda Minini é bióloga, pedagoga, mestre em psicologia escolar (PUCCAMP) e doutora em educação (Psicologia da Educação- PUCSP). Professora de educação infantil, ensino fundamental e superior. Coordenadora do Curso de Pedagogia.

Assista ao Papo de Mãe sobre ecologia:

 

 

 

 

 

 

 


Tags: ,