Mitos e verdades sobre amamentação

Por Cinthia Calsinski, Enfermeira Obstetra

 

Mitos e verdades sobre amamentação:

 

1-Seios grandes muito leite, seios pequenos pouco leite.

Mito.

O tamanho do seio é devido à composição corporal de glândulas, músculos e gordura. Portanto não se pode estimar a produção de leite pelo tamanho do seio.

 

2- Mamilos planos ou invertidos inviabilizam amamentação.

Mito.

Para ordenhar o leite da mama de sua mãe o bebê deve realizar a famosa “pega correta” em que ele abocanha a maior parte da aréola possível. Desta maneira, mamilos planos ou invertidos podem dificultar um pouco nas primeiras mamadas, mas apenas até o bebê entender como deve ser feito. Mulheres com mamilos planos e invertidos amamentam normalmente.

 

3- Beber água aumenta o volume de leite produzido.

Mito.

Ingerir uma boa quantidade de líquidos no período de amamentação é muito importante para própria mãe/funcionamento do seu organismo, inclusive para a produção de leite. Mas não significa que quanto mais água a ingerida mais leite irá produzir.

 

4- Bebê deve ser amamentado a cada 3 horas.

Mito.

O bebê dever ser amamentado em livre demanda. Quando chora e sua mãe identifica o choro como fome (é hora de amamentar). Ninguém gosta de comer com intervalos rígidos, e sabemos que conforme foi à alimentação anterior, a próxima pode ser antecipada ou retardada, e isso acontece também com o bebê. Amamentação não é apenas matar a fome, no verão por exemplo, o bebê pode ir mais vezes ao seio, e por temposextremamente curtos como 3 minutos. Esta é uma maneira de matar a sede.

 

5- Até a descida do leite se deve alimentar o bebê com leite artificial.

Mito.

Logo após o parto já existe a produção de colostro, que é um tipo de leite com características especiais para os primeiros dias de vida. A descida do leite ocorre geralmente por volta de 72 horas após o parto e o colostro é o suficiente para o bebê neste período.

 

6-Se o seio não fica cheio e duro, não está produzindo leite suficiente.

Mito.

É comum que nos primeiros dias a produção de leite não esteja ajustada à demanda do bebê, assim muitas mães sentem o seio cheio e duro. Logo a produção se torna equilibrada e o leite é produzido no momento da amamentação, não havendo produção em demasia, o que faz com que o seio esteja mais flácido.

 

7- Na volta ao trabalho é necessário desmamar o bebê.

Mito.

A mãe que volta ao trabalho antes dos 6 meses, o que infelizmente é maioria, pode ordenhar seu leite e outra pessoa pode oferecê-lo para que se continue em amamentação exclusiva.

A recomendação é amamentar pela manhã, no final da tarde e no meio da noite diretamente ao seio, e no momento que mãe e bebê não estão juntos a administração se faça através do copinho.

*Cinthia Calsinski é enfermeira obstetra há cinco anos, é preparada para analisar criticamente a situação da paciente e investigar problemas que possam prejudicá-la ou a seu filho, sempre buscando soluções através de diversos métodos científicos, é habilitada para conduzir um parto quando acontece de forma natural, analisar a gestante, verificar contrações, dilatações e demais alterações no funcionamento do organismo feminino no momento do parto, e discernir quaisquer alterações patológicas que possam requerer um atendimento médico especializado. Por meio de consultorias domiciliares, Cinthia prepara a mãe para o parto, amamentação, como lidar com um recém-nascido com todos os desafios que ele proporciona, cuidados de higiene, preparo do ninho (ambiente do quarto, disposição de móveis, enxoval, treinamento de babás), curso de primeiros socorros, reciclagem para avós, colocação de brincos em meninas. Tudo na tranquilidade do lar, com hora marcada.

 

Facebook.com/cinthiacalsinskienfermeiraobstetra