Check-up pré-gravidez

Por Carolina Ambrogini*, ginecologista e obstetra

saude-da-mulher-3

Antigamente, os preparativos para o casamento incluíam uma visita ao ginecologista para fazer o que se chamava de exames pré-nupciais. Eles eram necessários para conversar sobre métodos contraceptivos e também checar a saúde da futura esposa para uma possível gravidez. Claro que muitas coisas mudaram! A vida sexual começa antes do casamento para a maioria das pessoas e, mesmo quem decide esperar, já aprende sobre contracepção ainda na escola. No entanto, uma coisa que continua relevante: antes de pensar em filhos, é preciso saber como anda a saúde e tomar algumas medidas preventivas.

Por isso, se você pretende engravidar em breve, marque já uma consulta com o seu ginecologista. Ele vai conversar sobre o seu ciclo menstrual, orientá-la sobre o período fértil e o uso de medicações que devem ser evitadas nessa fase (assim como o cigarro e excesso de álcool). Além disso, provavelmente vai querer saber como vai a sua alimentação e se você tem se exercitado o suficiente, que são práticas que favorecem a fertilidade e a saúde como um todo, claro.

Recomendações

Certos tratamentos estéticos (tintura e progressiva no cabelo, peeling com ácidos etc.) estão proibidos durante a gravidez por oferecer risco ao bebê, sendo assim, quem está tentando engravidar só deve fazê-los quando tiver certeza de que não está grávida – ou seja, logo após a menstruação. Por falar em “proibições”, por conta da epidemia de zika vírus, a recomendação atual para as tentantes é evitar viagens para áreas com maior incidência da doença.

Outro detalhe importante é a investigação do histórico de doenças da sua família e da do futuro pai, para saber dos riscos de problemas genéticos que podem impactar ou não a gestação. IMC abaixo ou acima do normal também podem ser empecilhos tanto para engravidar, quanto para uma gestação saudável. Então, fique de bem com a balança assim que possível.

Exames e vacinas

Nesse período recomendam-se também alguns exames de rotina, para checar a saúde de um modo geral, mas isso depende de cada médico – como hemograma completo, tipagem sanguínea, sorologia para doenças sexualmente transmissíveis, toxoplasmose e clamídea (que pode interferir na fertilidade). Se você tiver mais do que 35 anos, por exemplo, talvez ele investigue também a sua reserva de óvulos por meio de um teste para avaliar o hormônio anti-mulleriano. Mas, reforço, vai depender de cada caso e do que o seu médico vai julgar necessário para você.

Em relação às vacinas, também conta o seu histórico. Não existe uma essencial para quem está tentando engravidar. Agora, se no seu calendário de vacinação estiverem faltando algumas doses importantes, como rubéola, é necessário atualizá-lo antes de engravidar. Pois algumas vacinas que levam o vírus atenuado são contra-indicadas durante a gravidez.

Outra recomendação importante é a ingestão de ácido fólico – vitamina que previne doenças neurológicas – desde antes da gestação. O ideal é começar a tomá-lo pelo menos um mês antes de começar a tentar. Assim, caso você engravide logo de cara, já estará com os níveis de ácido fólico desejáveis garantidos no organismo.

Por último, boa parte desses cuidados valem para o seu companheiro também, ok? Assim como você, ele deve fazer um check-up geral de rotina de preferência. E caso tenha sofrido alguma lesão testicular ou varicocele, vale pedir um espermograma.

Todas essas recomendações são fundamentais para garantir uma gravidez tranquila e feliz. Prevenção é sempre o melhor remédio afinal.

*Dra. Carolina Ambrogini é ginecologista, obstetra, sexóloga e mãe de 2 filhos. Coordena o Projeto Afrodite, da Universidade Federal de São Paulo e já participou como especialista convidada de vários programas Papo de Mãe. 

Outros artigos da Dra. Carolina Ambrigini:

Assista:

 


Tags: , , , ,