Geração Z é a geração do empreendedorismo, aponta pesquisa

Por Mind Makers*

Atentas às necessidades desse jovens, escolas brasileiras já estão oferecendo o Empreendedorismo Criativo como disciplina

A Geração Z (nascidos entre 1996 e 2010), também chamada de Centennials, é conhecida por sua vontade de mudar o mundo. Essa mentalidade pode ser percebida no mercado de trabalho: segundo a pesquisa GEM Brasil 2018 (Global Entrepreneur Monitor), entre 2013 e 2018 a participação dos empreendedores nas faixas de 18 a 24 anos aumentou em aproximadamente 5% pontos percentuais.

Atualmente, 22,2% dos jovens com essa idade fazem parte do grupo de empreendedores iniciais. Ou seja, recém-chegada no mercado de trabalho, a Geração Z já se destaca com iniciativas de negócios próprios. Por isso, muitas escolas estão investindo em disciplinas de empreendedorismo com o objetivo de ajudar seus alunos a desenvolverem habilidades como criatividade e independência.

A Geração Z é a primeira nativa digital e também se caracteriza por seu raciocínio rápido e capacidade de se adaptar. Personalidades brasileiras famosas como o youtuber Lucas Rangel (22), a cantora Luísa Sonza (21) e o influencer Leo Picon (23), por exemplo, são alguns dos rostos dessa nova geração que não tem medo de se arriscar na carreira.

Empreendedorismo como uma habilidade

No Brasil, o Empreendedorismo já está sendo oferecido como disciplina em escolas particulares.  Para Dudu Obregon, autor da disciplina Empreendedorismo Criativo ofertada pela Mind Makers, os jovens que ainda estão no Ensino Médio podem aprender a empreender entrando em contato com projetos e dinâmicas que estimulem sua capacidade de solucionar problemas e aprimorar ideias. Obregon defende que empreendedorismo não é apenas uma modalidade de trabalho, mas uma habilidade, portanto, capaz de ser aprimorada.

“Quando falo de empreendedorismo, é mais do que abrir uma empresa. É sobre autonomia para saber o que te toca. Todas as pessoas são potenciais empreendedoras e quanto mais exercitam essa habilidade, maior capacidade de execução”, explica. Não à toa, os conteúdos ensinados pela disciplina de empreendedorismo criativo focam na resolução de problemas reais, que se relacionam com a vida dos estudantes.

A Mind Makers atua com a disciplina para cerca de dois mil estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental II ao 3º ano do Ensino Médio. As aulas são estruturadas em atividades que complementam e expandem o aprendizado escolar e se baseiam em conceitos de Startup e Design Thinking. Os estudantes também são estimulados a criar projetos que estejam calcados nos 17 objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU.

Obregon relembra que essa geração enxerga o professor e a sala de aula como guias do conhecimento, facilitadores. “A Geração Z é uma geração que não tem medo de se arriscar e que procura se inovar no mercado de trabalho, sempre levando em consideração as urgências do mundo”, finaliza.

* A Mind Makers é uma editora educacional que desenvolve disciplinas inovadoras para a Educação Básica. É pioneira na implantação do Pensamento Computacional e Empreendedorismo Criativo nas escolas do Brasil, para que crianças e jovens possam desenvolver habilidades indispensáveis para o futuro mercado de trabalho.

www.mindmakers.cc