Refluxo em bebês: diagnóstico correto e tratamento

Getty Images
Getty Images
Muitos bebês, logo nos primeiros dias de vida, apresentam sintomas de refluxo. Quando o refluxo é grave e traz consequências para a saúde da criança, como a perda de peso, é necessário fazer tratamento.

Cerca de 50% dos bebês apresentam a volta do leite pela boca, ou seja, regurgitam. E isso é considerado normal, não precisa ser motivo de preocupação.

A pediatra Ana Laura Kawasaka, do Saúde4kids, que sempre participa do Programa Papo de Mãe,diz que existe um refluxo fisiológico que é comum no recém-nascido,causado pela imaturidade dos órgãos. Isso não tem nenhuma consequência para o bebê e não causa desconforto.

Mas ela explica que os pais devem ficar atentos caso o bebê apresente alguns sinais diferentes, tais como ficar irritado, chorar muito e não conseguir mamar direito. Regurgitar um pouco de leite, tudo bem, mas vomitar não é o esperado.

Outros sinais de refluxo são tosse, chiado no peito e dificuldade para respirar.

Por isso, é indicada a visita regular ao pediatra. No primeiro mês de vida, semanal e, depois, mensal até completar um ano. Tudo isso para acompanhar o desenvolvimento do bebê e, principalmente, o ganho de peso.

Em muitos casos, o refluxo deve ser tratado com medicamentos e é recomendado elevar a cabeceira do berço. Lembrando que a determinação do ministério da saúde é colocar sempre o bebê para dormir de barriga para cima.

Assista ao programa Papo de Mãe sobre refluxo:

Mariana Kotscho é jornalista e trabalha em televisão há 28 anos. Foi repórter da Rede Globo por 12 anos. Com passagens também pelo SBT e Record TV. Desde 2009, é apresentadora do programa Papo de Mãe, da TV Cultura.

Siga o Papo de Mãe no Instagram!